Garoto de 11 anos deixa bilhete pedindo desculpas por danificar uma planta do vizinho

Thayssa Maluff

Gente, essa história que vou contar agora aconteceu há umas 3 semanas, mas é tão fofa e faz a gente refletir tanto que não podemos deixar de mencionar aqui nas boas notícias.
A gente sabe que em locais onde existem crianças brincando na rua podem acontecer acidentes como uma bola bater em algum lugar, cair no quintal do vizinho ou quebrar uma planta, e foi exatamente isso que aconteceu com um garotinho de 11 anos na Itália.
Ele danificou uma planta acidentalmente com a bola, mas para mostrar pra gente que educação e ética não tem idade pra se manifestar, ele deixou um bilhetinho escrito à mão para o vizinho em questão.
O bilhete diz exatamente isso: “Bom dia, desculpe pela planta. Eu bati nela acidentalmente com uma bola de futebol. Aqui estão cinco euros pelo dano”. É claro que o dono da planta se encantou com a sinceridade do garoto, e por coincidência, ele é professor de Filosofia em Pádua. Pegou o bilhetinho fotografou e postou nas redes sociais.
Isso mostra o quanto as crianças são suscetíveis a bons exemplos.
Pense nisso ao educar uma criança.

Casal de Campo Grande se casa de um jeito diferente

Imagina que você está com a cerimônia do seu casamento toda organizada há mais de um ano e vem essa danada da pandemia do coronavírus. “Pronto, acabou com os planos” é o que qualquer um pensaria. Mas Anna e Vinícius decidiram seguir em frente com o casamento, mas de uma forma diferente.
A cerimônia foi bem diferente e emocionante no estilo drive-in, onde os convidados ficaram dentro dos seus carros.
Tudo mudou nos últimos meses e o casal, não queriam abandonar o casamento, mas sempre focaram muito na segurança dos convidados.
Dentro dos carros os convidados ouviram a cerimônia, os votos, assistiram a valsa e acompanharam a alegria dos noivos.
E você o que acha dessa ideia?

Balé ajuda garota de 5 anos com paralisia cerebral a melhorar os movimentos

A história da Maria é bem emocionante e está ainda no comecinho.
Ela teve um AVC enquanto ainda estava no útero de sua mãe, e com 2 meses de nascida foi diagnosticada com paralisia cerebral.
Mas foi no balé que a família encontrou uma forma de ajudar na recuperação dela.
Maria faz acompanhamento com fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, ortopedista, e além de tudo isso pratica balé, judô e natação.
Claro que todas essas atividades estão temporariamente suspensas devido à covid-19.
Agora ela quer ser modelo e já tem até agência.
O lado direito dela é comprometido, mas todas essas atividades estão ajudando na reabilitação dela.
O nosso cérebro é uma máquina misteriosa e faz de tudo para encontrar caminhos alternativos para restabelecer a comunicação entre os dois lados.
Esse é um exemplo para você que acha que tudo está errado na sua vida. Maria é um exemplo de superação e é claro que a gente não podia de mencionar aqui.

Texto: viniprado_